qual-a-melhor-forma-de-levar-dinheiro-para-o-exterior.jpeg

Qual a melhor forma de levar dinheiro para o exterior?

Fazer uma viagem internacional requer muito planejamento. Para não ser surpreendido com imprevistos, o ideal é começar a organização meses antes do embarque, afinal, são muitos detalhes e dúvidas que surgem ao longo da preparação. Um dos questionamentos mais frequentes, é: como levar dinheiro para o exterior?

As opções são variadas: dinheiro em espécie, cartão pré-pago, cartão internacional, etc. Mas se você ainda tem dúvidas sobre qual é a mais apropriada no seu caso, continue a leitura! No post de hoje, falaremos sobre as opções mais comuns para que você não erre na escolha! Acompanhe!

Dinheiro em espécie

Primeiramente, você deve procurar uma casa de câmbio autorizada, afinal, não vai querer passar por constrangimentos em outro país, certo? Então certifique-se de não levar dinheiro falsificado. Infelizmente existem pessoas que querem se aproveitar da situação.

Saiba que o valor será sempre um pouco mais alto do que aqueles anunciados na internet, afinal, há impostos e o lucro das casas de câmbio embutidos no valor, mas a diferença de preço vale a garantia de não ter dores de cabeça durante a viagem. Na hora de procurar o melhor local para trocar a moeda, existem alguns sites que indicam aqueles que oferecem as melhores condições.

Entre as alternativas para levar dinheiro para o exterior, a modalidade “em espécie” é considerada a melhor, mais prática e garantida. Com o aumento do IOF para cartões, essa opção é a mais em conta, além de ser a que oferece menos riscos, afinal, não tem como o dinheiro “não funcionar”, ou “travar”, assim como acontece com os cartões em alguns casos.

Ele é indicado para viagens mais curtas, quando não se tem que levar uma grande quantia. Além disso, ajuda a evitar os gastos exagerados que costumam acontecer com os cartões.

Um ponto negativo ― talvez o único ― é nos casos de perda ou roubo, que é praticamente impossível recuperar o valor, a não ser nos casos de alguém com muito boa fé encontrar.

Se essa for a sua opção, fique atento se for levar quantias mais altas. Não existe limite para valores em dinheiro vivo no caso de viagens internacionais, porém, quando se leva um valor igual um superior a R$10 mil ― isso vale para conversões em moedas estrangeiras também ―, é preciso declarar quanto está levando.

Essa medida não tem exatamente a ver com o valor em sim, mas é uma forma de prevenir contra a entrada de dinheiro de origem ilegal no país.

Cartão pré-pago

O cartão pré-pago também é amplamente utilizado pois, além de permitir um controle dos gastos e o estabelecimento de um limite de quanto se pode gastar, ele é muito prático e permite até mesmo saques. São encontrados, também, nas casas de câmbio e os mais populares são os das bandeiras Visa (TravelMoney) e Mastercard (Cash Passport).

Os cartões pré-pagos não são vinculados à conta-corrente do titular. Funciona assim: você “carrega” o cartão e utiliza na modalidade “débito” até o seu saldo se esgotar. Depois que acabar, é possível recarregar.

Geralmente, não são cobradas taxas para usar esse tipo de cartão, apenas no caso de saque. Porém, existem alguns planos que não cobram nem pelo saque. Se você for optar pelo pré-pago, procure um que ofereça as condições mais adequadas para você.

Essa opção é muito boa para quem não possui cartão internacional ou, ainda, para aqueles que possuem, mas com um limite muito baixo. Além disso, ele é mais seguro que o dinheiro em espécie ― é restituído em até 48h com o valor recuperado ― e oferece a comodidade de poder fazer consultas de saldo ou até mesmo recargas pela internet.

Vale lembrar que, ao recarregar o cartão, o valor do IOF é cobrado, porém, algumas casas de câmbio negociam a taxa.

Cartão internacional

Se a sua opção for levar um cartão internacional, é preciso saber muito bem as condições das funções “crédito” e “débito” para não extrapolar nos gastos durante a viagem e não ser surpreendido na hora de pagar a fatura!

As duas opções têm vantagens e desvantagens. Por isso, explicamos um pouco de cada uma para tentar te ajudar a selecionar qual é a melhor para você:

Crédito

O cartão de crédito é um pouco arriscado, afinal, você só pagará a conta depois. Além de ser mais difícil de controlar efetivamente os gastos, se você der azar, a cotação da moeda pode estar mais alta no dia do fechamento da fatura.

Porém, por outro lado, é uma boa opção para quem já está planejando pagar as contas depois ou até mesmo parcelar. Além disso, as taxas podem ser negociadas.

Débito

Essa opção é mais vantajosa do que a opção “crédito” no sentido do controle de gastos, afinal, você pode estabelecer seu limite e só deixar disponível na conta o valor estipulado, evitando, assim, gastos exagerados.

Como a transação é feita na hora, a cotação da moeda que vale é a do dia da compra. Também é mais seguro que o dinheiro em espécie, mas a reposição no caso de perda ou roubo é mais demorada que a do cartão pré-pago. Além disso, as taxas para saque também são mais elevadas.

Conta no exterior

Muita gente nem cogita essa hipótese, por achar que é muito inviável. Porém, em alguns casos, ela pode ser uma opção muito atraente.

Alguns bancos permitem abertura de conta no exterior, eliminando o fantasma do IOF da sua viagem. Além disso, é possível usar o cartão emitido para saques e pagamentos e, ainda, fazer transações via internet banking. Vale a pena consultar as condições!

Como você percebeu, existem muitas variáveis na hora de escolher como levar dinheiro para o exterior. Você deve avaliar praticidade, segurança, comodidade, custos e outros itens que forem relevantes para você. O importante é garantir uma viagem tranquila e sem imprevistos.

Falando em imprevistos, uma dica é: nunca leve apenas uma opção. Escolha aquela que será a principal, mas leve outra de reserva, afinal, nunca sabemos quando seremos surpreendidos. E independentemente das opções escolhidas, tenha sempre uma pequena quantia em espécie com você. É uma garantia para situações inusitadas.

E então, já decidiu como levar dinheiro para o exterior? Qual a opção mais adequada para você? Ainda ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário no post que esclareceremos para você!

Comments (6)

  1. gostei desse artigo,vou colocar em pratica o que eu aprendi através desse ensinamento. uma pergunta? posso divulgar este artigo nas redes sociais para que outras pessoas vejam.

  2. Gostei do artigo. As informações são ótimas. Poderia dar mais dicas no que diz respeito à abertura de conta no exterior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This