entenda-o-que-e-a-sindrome-do-viajante-e-como-evitar.jpeg

Entenda o que é a síndrome do viajante (e como evitar!)

Pouca gente já ouviu falar, mas uma pessoa pode morrer durante uma viagem de avião mais longa, mesmo sendo saudável. Na verdade, essa tragédia tem até um nome: síndrome do viajante.

A situação é grave e você deve saber o que é a síndrome do viajante para poder evitá-la e viajar tranquilamente.

Quando você passa muito tempo sentado em uma poltrona de avião sem se locomover pode provocar a formação de trombos ou coágulos nas veias das pernas. Isso acontece principalmente na dobra do joelho, por causa da posição e do pouco espaço entre as poltronas. Quer saber um pouco mais? Continue lendo e informe-se melhor sobre esse problema.

Quais os sintomas da síndrome do viajante?

Popularmente chamada de síndrome do viajante, o nome dessa complicação é Trombose Venosa Profunda e é causada pela coagulação do sangue no interior das veias.

Então, se você já observou que seus pés ficam inchados quando você passa um período maior sentado e sem se movimentar, é hora de ficar atento e procurar um médico.

Durante o voo, se você sentir que suas pernas estão dormentes ou incomodando, levante-se, mova-se, beba água e peça ajuda aos comissários, se for preciso. As mulheres são mais propensas à síndrome do viajante, deviso aos fatores hormonais, como o uso de anticoncepcional frequente.

Além disso, outras condições do avião facilitam o problema, como o ar seco da cabine despressurizada e a desidratação, que podem afetar a viscosidade do sangue e facilitar a ocorrência da síndrome do viajante.

Como evitar a síndrome do viajante?

Agora que você já sabe o que é a síndrome do viajante, confira algumas sugestões importantes para evitá-la:

1. Beba muita água

A água vai lhe manter hidratado e saudável durante o voo. Peça bastante água aos comissários, principalmente em voos com mais de 3 horas de duração.

O uso de bebidas alcoólicas durante a viagem também se torna um fator complicador. Por isso, evite a ingestão de álcool, pois ele praticamente anula o efeito da água no organismo. E, procure se alimentar bem antes e durante a viagem.

2. Movimente-se

Essa é uma questão primordial que devia inclusive fazer parte das instruções de bordo dos voos mais longos. A cada duas horas, levante-se do seu lugar e caminhe no corredor.

Aproveite para fazer uma série de 20 repetições do seguinte exercício: fique nas pontas dos pés e force a panturrilha. Outro movimento que você pode fazer é girar os pés para ambos os lados e para cima e para baixo, sempre que possível. Não fique acanhado por exercitar-se no voo e nem se intimide; pois, isso pode salvar a sua vida.

3. Use meias de compressão

Aquelas meias da “vovó” são ótimas para prevenir a síndrome do viajante. Use-as durante os voos mais longos, pois elas auxiliam muito na circulação do sangue dos membros inferiores e, com isso, reduzem os riscos de trombose.

E, também, evite roupas justas e sapatos apertados. Na hora da viagem, a regra é clara: vista-se o mais confortável possível.

4. Consulte seu médico

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, as chances de acontecer uma trombose aumentam até três vezes em voos com mais de duas horas de duração.

Na próxima consulta com o seu médico, verifique quais são as chances de você desenvolver trombose. Nesses casos, ele pode até passar alguma medicação ou mesmo atividades que diminuam o risco e te deixem mais tranquilo nas próximas viagens.

Agora que você já sabe o que é a síndrome do viajante e o quanto ela pode ser perigosa, compartilhe esse artigo nas suas redes sociais e ajude mais pessoas a se prevenirem em relação a esse problema. Combinado?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This